400 muçulmanos radicais aceitam Jesus

400 muçulmanos radicais aceitam Jesus
400 convertidos aceitaram Jesus Cristo na Nigéria. Eles vieram do grupo radical islâmico Fulani. Um grupo que vem intensificando o sofrimento dos cristão na Nigéria.
O pastor Copper Sebok, que lidera a igreja dos novos convertidos, convidou-os a pregar o evangelho da paz aos seus companheiros terroristas, para que cesse a violência do grupo.
O líder também ressaltou que a ideia que os terroristas não podiam ser alcançados com o Evangelho de Cristo é uma mentira e pediu compaixão aos não-salvos para atraí-los a Cristo para a salvação eterna.
7 dos 400 convertidos foram ordenados a pastores e um deles, agradecendo a Deus pela oportunidade de ter uma vida nova em Cristo, disse que levará o Evangelho não só aos Fulanis, como também a todas as demais pessoas.

O grupo radical islâmico Fulani, é um grupo pior do que os terroristas do Boko Haran e é o que tem matado mais pessoas na Nigéria.
Esses terroristas são pastores nômades de rebanhos de gado e a violência desse grupo se intensificou devido aos efeitos das mudanças climáticas e com a necessidade de migração desses pastores para áreas mais férteis, resultando em conflitos violentos com agricultores e pastores.
Nos meses finais de 2016, o grupo terrorista Fulani, matou mais de 800 cristãos e muçulmanos moderados e destruíram cerca de 16 igrejas.
No início do ano esses radicais islâmicos teriam invadido uma vila cristã, matando 10 pessoas e destruindo casas.
Com tantas mortes promovidas pelo grupo radical islâmico Fulani, ele se tornou o quarto grupo militante mais mortífero do mundo.

Deixe seu comentário!: